Início > Promiscuidade de doutrinas > Atos profeticos e feitiçaria gospel

Atos profeticos e feitiçaria gospel


Por Marcelo Lemos

A pergunta que responderemos hoje, em nossa série Doutor Bíblia Responde, poderá nos levar á fúria dos “evangélicos” de nosso tempo. Nosso leitor, André Rodrigues, nos envia a seguinte questão:

“Olá. Gostaria de saber o que são, na verdade, os atos proféticos tão praticados atualmente nas igrejas, e quais as relações (se é que têm relação) com os atos proféticos do Velho Testamento…”.

André, vou responder de modo curto e grosso, para depois expandir mais a resposta. Então, que os “evangélicos” segurem o rojão:

O que são os atos proféticos praticados em (muitas) igrejas evangélicas hoje? São trabalhos de macumbaria, travestidos como mensagem do Evangelho, e roupagem cristã judaizante. Ato profético é feitiçaria gospel!

Qual a relação de tais atos proféticos com os atos proféticos do Antigo Testamento? Não há qualquer relação, pois no Antigo Testamento não havia atos proféticos, pelo menos, não nas configurações neopentecostais.

ANATOMIA DOS ATOS PROFÉTICOS NEOPENTECOSTAIS

Boa parte da Igreja Evangélica de nossos dias foi invadida por práticas pagãs, as quais se enraizaram tão fortemente na mente e no coração das pessoas, que estou convencido de que frequentar uma Igreja Romana seria, anos luz, mais saudável. Claro, refiro-me, somente, as Igrejas Evangélicas que seguem tais práticas. Infelizmente, são muitas; talvez, a maioria delas.

Em ditas “igrejas”, o pastor virou xamã, revestindo-se da mesma mística, e dos mesmos poderes, que antes eram propriedade dos feiticeiros das casas de macumba. Os crentes, assim como os que buscam os terreiros, transformaram-se numa multidão de adoradores mercenários, a procura de um “cristo talismã”, que lhes desamarre os caminhos.

Mas, ainda precisamos relacionar os “atos proféticos” com os trabalhos de macumbaria. Coisa fácil de se fazer. Basta compararmos as duas anatomias. Um trabalho de macumba nada mais é que o homem valendo-se de ritos, e de objetos, a fim de manipular a ação da Divindade (ou das divindades, dependendo do caso).

Jostein Gaarder, na obra “O Livro das Religiões” (Cia. Das Letras), nos fornece uma descrição muito valiosa sobre o que seria a “magia”:

… o ser humano que se vale de ritos mágicos, ele está tentando coagir as forças e potencias a obedecer à sua ordem – que com frequência consiste em atingir finalidades concretas. Desde que os rituais mágicos sejam realizados corretamente, o mago acredita que os resultados desejados decerto ocorrerão, por uma questão de lógica”.

Se você trocar “mago” por “pastor”, “apóstolo”, ou mesmo “levita”, obterá um retrato fiel da espiritualidade ‘evangélica’ alimentada por muitas pessoas. Atos proféticos, e pontos de contato (como sabonetes, chaves, e rosas ungidas), possuem a mesma utilidade dos ritos e objetos utilizados em rituais de magia.

Pode ser que alguém nos imagine exagerando, então, vamos pedir a opinião do ‘Paipóstolo’ Rene Terra Nova, entusiasta e incentivador de “atos proféticos”:

Mas, o que é um ato profético? É uma expressão, uma atitude visível da Igreja que tem uma referência e um respaldo no mundo espiritual. Digo que o ato profético é uma mensagem enviada ao reino do espírito que ratifica a ação da fé e da Palavra” (Atos proféticos, comando de Deus ou invenção humana?, MIR).

Mensagens enviada ao “mundo do espírito”, a fim de que o “pastor” e o “crente” consigam conquistar alguma coisa desejada no “mundo físico”. Ato profético, portanto, é um meio do homem manipular o mundo espiritual, inclusive a ação dos demônios:

Se conhecermos a potencialidade da cobertura espiritual, impediremos que o diabo entre em nossas fronteiras, migre pelas bre­chas ou assalte pelas arestas. Os atos proféticos são uma ferramenta de Deus para impedir que sejamos apanhados de surpresa. Na verdade, é uma chamada de Deus para não permitirmos que o diabo adentre no nosso arraial… A realização desses atos emite mensagem no mundo espiritual, imobilizando a atuação do diabo e desatando a ação da igreja.” (Idem).

Em outras palavras, o pastor assumiu o lugar do feiticeiro, especializando-se em manipular as forças espirituais a seu favor. Seu suposto poder é tão grande, que inventou também a Cobertura Espiritual, com o que ameça os rebeldes – os que lhes questiona – de serem amaldiçoados por Deus. Os macumbeiros mais poderosos hoje, estão em cargos de liderança nas ditas Igrejas Evangélicas.

E OS ATOS PROFÉTICOS BÍBLICOS?

Não há atos proféticos na Bíblia, nem mesmo no Velho Testamento. Vamos recordar a definição do xamã gospel Rene Terranova: “Digo que o ato profético é uma mensagem enviada ao reino do espírito que ratifica a ação da fé e da Palavra!”. Em que lugar das Escrituras lemos sobre patricarcas, profétas ou apóstolos realizando atos que eram “mensagens enviadas ao reino do espírito”? Em lugar algum!

O que esses falsários, sabios analfabetos em exegese, fazem, é sequestrar profecias bíblicas, deturpá-las de seu sentido natural e Evangélico, a fim encaixá-las em seus manuais de feitiçaria. Terranova apresenta sua primeira “prova” de que atos proféticos são bíblicos, valendo-se de Genesis 3.15:

Você sabia que em Gênesis 3, quando Adão e Eva se esconderam atrás das folhas de figueira, Deus estava apontando para a cruz?” (Idem).

Todo cristão que já foi a Escola Dominical sabe que Genesis 3.15 aponta para a Cruz de Cristo; Terranova não fala qualquer novidade aqui. Mas, que Genesis 3 tem de ato profético? Se um ato profético é uma “mensagem enviada ao mundo do espírito”, onde encontramos tal coisa no texto de Genesis 3, ou em qualquer outro texto inspirado pelo Espírito Santo?

O que encontramos em Genesis 3 não é um ato profético, não é um ritual de manipulação do mundo espiritual, mas uma tipologia; ou seja, um evento histórico que simbolizava a Obra de Cristo. Seu objetivo não era manipular o mundo espiritual, como ocorre nos atos proféticos, mas sim ensinar o povo de Israel sobre a realidade que estava por vir: Cristo!

Por esse motivo o Novo Testamento chama o Velho de “sombra”, pois é composto de eventos históricos, e da ritualística da Lei, que simbolizavam a realidade futura, feita presente no tempo na pessoa do Cristo: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombra das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo” (Colossenses 2.16,17).

De modo que, os simbos do Antigo Testamento não eram atos proféticos que enviavam mensagens ao “mundo do espírito”, mas sim, símbolos que transmitiam mensagens aos homens, visando ensiná-los na Verdade.

Ainda mais ridícula é a tentativa de identificar atos proféticos no Novo Testamento. Sobre isso Terranova ensina: “A pregação do Evangelho, o batismo nas águas, a ceia do Senhor, a unção com óleo, o dízimo e a oferta são atos proféticos que serão realizados pela igreja, até que o Messias volte”.

Ora, desde quando enviamos mensagens ao mundo do espírito quando comemos do Corpo e do Sangue de Cristo? Desde quando enviamos mensagens ao mundo do espírito quanto somos conduzidos as águas do Batismo? Qual lugar da Escritura ensina tal insanidade? O ensino bíblico sobre a Ceia, por exemplo, é que a mesma consiste em um serviço de adoção a Deus (Liturgia), e uma proclamação publica (feita aos homens!) da mensagem do Evangelho: “Porque todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha!” (I Cor. 11.26).

Ainda que os seres celestes, de fato, nos assistam na trajetória cristã, inclusive em nossos serviços liturgicos (I Cor. 4.9; 11.10); o Culto Público é prestado a Deus, e somente a Ele; transformar o Culto em uma mensagem enviada ao “mundo do espírito”, a fim de manipular forças espirituais, é paganizar a fé cristã! A simbologia liturgica do cristianismo, em boa parte perdida no pós-puritanismo, não nos coloca em contato com o mundo dos espíritos, mas nos ensina sobre a realidade escatológica por vir:

“O culto, portanto, é uma assembleia de antecipação escatológica. Vejam que Cristo lhe dá esta dimensão quando diz, na instituição da Santa Ceia, substituta da Páscoa judaica: "Pois vos digo que nunca mais a comerei, até que ela (a Páscoa) se cumpra no reino de Deus" (Lc 22.16). Toda vez, pois, que se celebra a Santa Ceia o quadro simbólico do culto sacrificial se repete e uma antevisão escatológica se realiza” (Rev. Onézio Figueiredo, citado em Conta-gotas de sabedoria)

O que a simbologia bíblica reflete é uma pedagogia divina, e não um ritual de magia; porém, os xamãs evangélicos querem deturpar até a pedagogia de Cristo. Como todo leitor das Escrituras há de saber, Jesus sempre fez uso de parábolas e ilustrações para transmitir seus ensinamentos; para os feiticeiros evangélicos, o que Jesus fazia era “atos proféticos”. Com a palavra, Rene Terranova:

“Jesus utilizou-se de muitas figuras do reino físico para ilustrar mensagens alusivas ao reino do espírito. Quando disse: destruirei esse templo e em três dias o reconstruirei, Ele falava numa linguagem profética (Jo. 2:19). As pessoas ao ouvirem-no olhavam para um templo físico, enquanto o Mestre aludia-se ao espiritual. Eles diziam: como o Senhor fará tal feito em três dias se nossos pais levaram 40 anos constru­indo esse templo?”.

Observem, apesar de sua fixação pelo tal “reino do espírito”, Terranova não é completo ignorante em exegese. De fato, Jesus se valia de elementos do mundo físico para ilustrar verdades espirituais. Até aqui nada a acrescentar. O que destoa o discurso mágico dos neopentecostais, é alegar (ou mesmo insinuar) que as parábolas utilizadas por Jesus eram “atos proféticos”, os quais são “mensagens enviadas ao mundo do espírito”. Uma parábola é o que uma parábola sempre foi: um método didático, que, obviamente, objetiva ensinar aos homens!

Quando Jesus quis enviar “mensagem” ao “reino do espírito”, Ele não fez uso de parábolas, nem de quaisquer outra classe de figuras, simplesmente ordenou Sua vontade:

“E andava pastando diante deles uma manada de porcos. E os demônios rogaram-lhe, dizendo: Se nos expulsas, permite-nos que entremos naquela manada de porcos; e Ele lhes disse: Ide!” (Mateus 8.30-32).

Se Jesus seguisse o manual neopentecostal dos gedozistas, teria feito um ato profético! Talvez, imagino, tivesse ordenado aos discípulos criar um boneco de porco, a fim de arrebentá-lo a pauladas, com muita autoridade, enviando assim, uma mensagem ao “mundo do espírito”, ‘liberando’ (sic) o caminho de sua pregação. Ou, se o tempo fosse curto, ordenaria que todos levantassem a barra das saias, e saíssem urinando nas cercas do nefasto chiqueiro, demarcando território; coisa bem apropriada para Aquele que é o Leão (risos).

Todavia, o alvo das parábolas, apesar de didático, não era facilitar o entendimento das pessoas, mas sim, forçá-las a meditar mais seriamente nas realidades espirituais nelas inseridas (João 16.29,30). Um outro objetivo das parábolas de Jesus, normalmente negligenciado por pregadores populares, era impedir que os reprobados compreendessem a Mensagem do Evangelho:

“Ele, respondendo, disse-lhes: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado… Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não veem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem. E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, e vendo, vereis, mas não o percebereis!” (Mateus 13.11, 13-14).

Atos proféticos? Não, método didático, assim como as figuras e os rituais do Antigo Testamento.

Que são os atos proféticos feitos em muitas igrejas? São trabalhos de feitiçaria, com roupagem cristã e judaizante, cujo objetivo é manipular o reino dos espíritos, enviando-lhes comandos e ordens. Qual a relação com os atos proféticos bíblicos? Não há relação, pois a Bíblia não ensina nada sobre tal prática. Apesar da Bíblia estar repleta de simbologias, o alvo das mesmas, como vimos, é servir ao ensino dos crentes, e não manipular o mundo espiritual.

Um abraço André; que o Senhor nos ensine a caminhar na simplicidade do Evangelho.

Marcelo Lemos acha que Harry Potter nao tem vocaçao pastoral, e por isso colabora com a subversao do Genizah!

Leia Mais em: http://www.genizahvirtual.com/2010/12/atos-profeticos-e-feiticaria-gospel.html#ixzz1E8TljvgE
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike

Anúncios
  1. Sidnei Alves
    03/12/2013 às 13:26

    Meus irmãos? É simples derrubar essa teoria de Atos proféticos: A Bíblia registra que é DEUS quem vela pela SUA PALAVRA para fazer cumprir Jeremias 1:12. A Palavra humana então tem mais poder que a de DEUS? Tem o homem poder de mudar o que Deus determinou pelo seu eterno propósito? O diabo então poderá também fazer um ato profético no mundo espiritual e mudar a sua sentença de Condenação? Se Deus não quiser curar eu tenho poder em minhas palavras de mudar sua sentença? Para o rei Ezequias mudar a sua situação ele não lançou ato profético, ele foi ORAR ARREPENDIDO, e Deus então enviou o profeta por CAUSA DO ARREPENDIMENTO do Rei. Segundo os pregadores dessa teoria diz que: O ato profético ratifica a Palavra enviada, ou seja, confirma a Palavra. É o ato profético que confirma ou a PALAVRA DE DEUS CONFIRMA A PALAVRA DE DEUS?

  2. 28/04/2013 às 18:16

    respostas imbecis isso tudo significa q quando Deus esta em algum lugar nada fica di mesmo geito algo ele sempre muda e o inimigo fica sempre furioso …..
    nunca tanta resposta maligna como agora q um trabalho lindo esta sendo feito por um homem d Deus .
    e engraçado q quando aquele endemoniada daquela mulher q se dizia pastora lano nao sei do que quando ela resouvel montar uma igreja pra gais lesbicas e travestis nao se levantaram tantas linguas malignas pra debater e agora com isso estao dizento q ato profetico e feitiçaria? isso e converssa do cao . eu ja vivi um milagre la , amados tirem suas duvidas vcs mesmos vao conhecer a igreja la e uma bençao o apostolo e homem d deus sim e ele vive um ato d milagre ele vive as promessas do senhor jesus sim

  3. Anônimo
    12/12/2012 às 18:56

    O PROBLEMA É QUE MUITOS, TEÓLOGOS SÓ FICAM NA LETRA PRECISANDO COLOCAR O NOME DE QUEM FAZ ATOS PROFÉTICOS, COMO UMA MANEIRA DE CRITICA-LOS, SITANDO O NOME DE A E B, ONDE ESTÁ O AMOR PARA PROCURAR O IRMÃO OU IRMÃ E CONSCIENTIZA-LOS DO ERRO SE É QUE ESSAS PESSOAS ESTÃO EQUIVOCADAS, AS DIFAMAÇÕES SÓ SERVEM PARA ATRAPALHAR O TESTEMUNHO DO SANTO EVANGELHO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, ESPERO TER CONTRIBUÍDO DE ALGUMA FORMA, UM ABRAÇO.

  4. kerginaldo silva
    29/11/2012 às 13:51

    meu irmão, ñ sou dessas Igrejas, que se utilizam do vocábulo “ATO PROFÉTICO” porem entendo q nas entre linhas muita gente acaba fazendo sim, os “ATOS PROFÉTICOS” .o problema está na pronúncia, pois para muitas Igrejas ela è desconhecida.

    cuide também em tratar bem, os Irmãos em cristo,e amálos; vc pode até dizer… e eu os amo! chamando-os de feiticeiros??? feiticeiro vai para lago de fogo. é isso q vc deseja para seus pares, q fazem os atos proféticos??? ame!!! faça o que Jesus fez… lave os pés de seus Irmãos. “DOUTOR” joão 13 kerginaldo silva – natal RN

  5. Pr. Vagner Silva
    04/11/2012 às 16:34

    Atos proféticos ou não! Uma coisa eu sei que somos templo do ESPIRITO SANTO, e que sua palavra é poder e Ele já nos tem dado esse poder apenas não cremos temos que avisar no mundo espiritual que estamos chegando, somos luzes e avisamos que vamos acender? O que realmente me importa é que o nome de JESUS seja pregado não importa a forma que seja só sei uma coisa atos profeticos não me salvou sou salvo pela graça de DEUS, mandando seu filho pois foi profetizado pelos profetas atravéz de parabolas isto eu vejo e sei que JESUS esta voltando e somente Ele poderá julgarmos pelas obras e palavras que soltamos.

  6. Alexandra Mello
    20/08/2012 às 11:41

    Concordo, porque a utilização de objetos é o mesmo que desviar a fé, pois deixamos de ter fé em DEUS e passamos a ter fé naquele objeto inanimado. Porem, existem atos profécos que são como um teatro, uma encenação, que apenas demonstram como funciona o mundo espiritual na vida das pessoas, para que os leigos e impios possam entender.
    A propósito, se atos proféticos são feitiçaria, o que me diz da “SANTA CEIA”, que é realizada para se alcançar algo (perdão por exemplo).

  7. Aline
    17/05/2012 às 15:35

    Esse texto biblico explica pq tanto conhecimento biblico,mas nenhum conhecimento.Temos que agradeçer a Deus pq nossos corações foi escolhido para conhecer e ser transformados pela verdade.Sabemos tbm que satanas foi um anjo de luz que tem conhecimento da biblia,mas não permanece na palavra pq ele é um mentiroso, e a biblia é palavra da verdade.Qual a diferença de nós servos para um doutor do conhecimento total? Essa é Fácil! Temos intimidade com Deus.OUVIMOS,SENTIMOS,ADORAMOS,DANÇAMOS,SORRIMOS para o senhor do senhores mesmo sendo considerados um nada para o mundo,mas principes e princesas filhos do rei que não precisa prova sua existência para ser DEUS. PAZ!!!! SEJAMOS JOVENS MARCADOS POR DEUS PARA MARCAR A NOSSA GERAÇÃO

  8. Aline
    17/05/2012 às 15:22

    Mateus 13
    1 No mesmo dia, tendo Jesus saído de casa, sentou-se à beira do mar;

    2 e reuniram-se a ele grandes multidões, de modo que entrou num barco, e se sentou; e todo o povo estava em pé na praia.

    3 E falou-lhes muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear.

    4 e quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as aves e comeram.

    5 E outra parte caiu em lugares pedregosos, onde não havia muita terra: e logo nasceu, porque não tinha terra profunda;

    6 mas, saindo o sol, queimou-se e, por não ter raiz, secou-se.

    7 E outra caiu entre espinhos; e os espinhos cresceram e a sufocaram.

    8 Mas outra caiu em boa terra, e dava fruto, um a cem, outro a sessenta e outro a trinta por um.

    9 Quem tem ouvidos, ouça.

    10 E chegando-se a ele os discípulos, perguntaram-lhe: Por que lhes falas por parábolas?

    11 Respondeu-lhes Jesus: Porque a vós é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas a eles não lhes é dado;

    12 pois ao que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundância; mas ao que não tem, até aquilo que tem lhe será tirado.

    13 Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e ouvindo, não ouvem nem entendem.

    14 E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, e de maneira alguma entendereis; e, vendo, vereis, e de maneira alguma percebereis.

    15 Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos, para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure.

    16 Mas bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem.

    17 Pois, em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não o viram; e ouvir o que ouvis, e não o ouviram.

    18 Ouvi, pois, vós a parábola do semeador.

    19 A todo o que ouve a palavra do reino e não a entende, vem o Maligno e arrebata o que lhe foi semeado no coração; este é o que foi semeado à beira do caminho.

    20 E o que foi semeado nos lugares pedregosos, este é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;

    21 mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e sobrevindo a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.

    22 E o que foi semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra; mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.

    23 Mas o que foi semeado em boa terra, este é o que ouve a palavra, e a entende; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.

  9. alexsandra almeida
    09/05/2012 às 17:32

    Meu caro por se auto afirmar doutor biblia vc está bastante equivocado,pois o maior instrutor dos atos proféticos é a Bíblia, de Gênesis a Apocalipse somos estimulados à realização desses atos e como eles foram realizados na vida dos patriarcas, profetas,sacerdotes, reis como também discípulos, apóstolos e o Messias, Jesus.
    Os atos proféticos são uma ação no mundo espiritual que se torna fator determinante para a posse de novos territórios. Cada indivíduo que conhece a Palavra de Deus não deve subestimar as questões espirituais e o ensino claro das Escrituras. A realização desses atos emite mensagem no mundo espiritual, imobilizando a atuação do inimigo de nossas almas e desatando a ação da igreja.O ato profético é um comando de Deus e não uma invenção humana.
    Desde o Éden, Deus já apontava para o calvário.Já observaram que em Gênesis 3,quando Adão e Eva se esconderam atrás das folhas de figueira, Deus estava apontando para a cruz? A figueira representa Israel, que não consegue cobrir a sua nudez; e Deus dá para eles se cobrirem túnicas de peles, significando que um dia o Cordeiro de Deus vestiria todos os homens da Terra. Era um sinal profético de que um dia todo homem possuiria as vestes do Cordeiro sobre ele. Não era a figueira temporária, mas o Cordeiro permanente.Deus também deixou diversos sinais na vida de Abraão (fé), refletidos na vida de Isaque (fidelidade), posteriormente refletidos na vida de Jacó (conquista). Fé, fidelidade e conquista são atributos necessários para uma genuína mudança de identidade. Jacó só mudou seu histórico de vida e se tornou um conquistador quando mudou de identidade,quando se tornou Israel.Vemos em II Reis 2:21 a história do profeta Samuel, que derramou sal sobre acabeceira do rio, que transbordou. Em outra passagem, Elias lançou farinha na panela e Deus operou um grande milagre (II Rs. 4). O livro de Jeremias também fala de atos proféticos de diversas formas: figueira (Jr. 8:13), cinto (Jr. 13:1-11) e um vaso quebrado diante dos sacerdotes (Jr. 1 9:11). Ele apontou para dias em que a calamidade viria sobre o povo, caso eles não se arrependessem (Jr 19).Finalmente, no Antigo Testamento, vemos a referência a dízimos e ofertas como atos proféticos (Ml.3:10-12). A história bíblica relata esta seqüência, culminando com a Ceia do Senhor, que representa o maior ato profético, ou seja, a morte e ressurreição de Cristo Jesus(1Co. 11:23-28).Do Éden ao Apocalipse há uma nítida sinalização para o reino do espírito: os atos proféticos, que são mensagens claras enviadas para o mundo espiritual diariamente e têm efeito instantâneo, prolongado ou processual. Cada um desses tem uma ligação com o passado, o presente e futuro. Existem casos nos quais Deus limpa o nosso passado; outros mudam a realidade do nosso presente e há outros em que o homem pede ao Senhor que trabalhe a seu favor para um futuro melhor…São exercícios de fé!
    Não que se faça de todos os atos proféticos doutrina de uma igreja. Deus quer nos ensinar que alguns deles sinalizam no reino espiritual para que cada pessoa tenha a sua experiência pessoal com Ele,e essa mesma experiência, utilizando-se dos atos proféticos, tem força de expressão, mas não tem poder de doutrina. É comparado à salvação, que é para todos, mas cada um tem sua própria experiência de como foi salvo. Uns foram no leito da dor, outros por terem sonhado que Jesus estava voltando… e voltaram depressa! Outros, na hora em que o uviram cantar: vem já!… vem já! A nossa experiência de salvação serve para edificar a fé do outro, mas não pode transformar-se em uma doutrina.Mas não esqueçamos que” A pregação do Evangelho, o batismo nas águas, a ceia do Senhor, a unção com óleo,o dízimo e a oferta” são atos proféticos que serão realizados pela igreja, até que o Messias volte.Pregar o evangelho é um ato profético que abre cadeias. Você sabe que por trás de cada vida não salva há uma porta que é um ponto de contato com o inimigo, mas a Igreja não pode se intimidar com isso, porque as portas do inferno não vão prevalecer contra o povo de Deus (Mt. 16:18).Quando há um batismo nas águas, o desatar de uma nova vida se concretiza na vida do homem. A ceia fortalece o nosso espírito, alma e corpo, mantendo-os plenamente conservados e irrepreensíveis até a vinda do Senhor Jesus Cristo. Isso significa que a ceia do Senhor é vida para o meu espírito, restauração para minha alma, saúde para o meu corpo, e vida para os meus ossos.A unção não é um simples gesto de passar óleo na testa, e sim, um sinal para o mundo espiritual de quebra de jugo, cura de enfermidades e legitimação ou capacitação de uma pessoa para um ministério ou tarefa específica. O dízimo sela a nossa fé e a oferta sela a nossa prosperidade. Como já mencionamos, esses são os atos proféticos que acompanharão a igreja até o retorno do Messias.
    BEM..ISTO É SÓ O COMEÇO,MAS AINDA HÁ MUUUUITO MAIS A SE RELATAR. A GRAÇA E A PAZ DO SENHOR JESUS.

  10. vanessa lopes
    30/04/2012 às 07:56

    Apesar de possuir tanto conhecimento ,vejo que você não teve um encontro com Deus , te levando a ser um homem culto e ignorante, pois se pensarmos neste ponto de vista o AT e repleto de feitiçaria pois para a expiação do pecado Deus levava o povo a fazer sacrífico de animais o que é usado nos dias de hoje por feiticeiros e abominável por Deus. Amado vc é como tome só acredita no que vê até um católico tem mais fé do que vc. Ato profético é fé e fé algo sobrenatural , coisa que sua incredulidade jamais vai deixar vc conhecer. bjs

  11. RICARDO SOUZA
    10/04/2012 às 02:30

    RESTA-ME APENAS PEDIR DICERNIMENTO AO ESPIRITO DE DEUS. NAO ME AGRADA OS ATOS FEITOS NA IURD COMO BANHO DE DECARREGO E ETC. TODA VIA OS ATOS PROFETICOS REALIZADOS PELO DIANTE DO TRONO POR EXEMPLO SINTO QUE O SR ESTA COM ELES. POIS A PALAVRA DIZ : COHECEREIS A ARVORE PELOS FRUTOS

  12. Antonio Marcos
    15/02/2012 às 19:03

    Boa noite Marcelo,
    Por gentileza me responda : Qual é a sua definição de ato profético?
    Já teve experiencias com feiticeiros? Do ponto de vista pratico?

  13. «73n £1Øn»
    15/02/2012 às 12:16

    huahauhu. não entendi nada…

  14. Antonio Marcos
    13/02/2012 às 21:34

    Caro Marcelo,
    Percebo que tem um bom conhecimento da biblia, e isso é importantissímo pois não samos enganados, entretanto demonstrar amor na hora de discordar é mais importante, principalmente os domestícos da fé. A propósito discordo de você.

  15. Anônimo
    05/12/2011 às 21:40

    Vc é digno de pena, que Deus tenha misericordia da sua vida.

  16. «73n £1Øn»
    09/10/2011 às 23:39

    Voce pode crer. Voce pode crer até em saci-pererê.

  17. Anônimo
    09/10/2011 às 21:00

    CREIO NOS ATOS PROFETICOS PORQUE A BIBLIA ME DA RESPALDO PORQUE ELA TACHEIA DE ATOS PROFETICOS,EU JA RECEBI BENÇAO ATRAVES DE ATO PROFETICO,ACHO MELHOR VC REVER SEU CONCEITO SOBRE ISSO.

  18. Anônimo
    08/09/2011 às 14:36

    O QUE VOCE ME DIZ DE 2 REIS 14 A 20 SE ISSO NAO É UM ATO PROFETICO
    E Eliseu lhe disse: Toma um arco e flechas. E tomou um arco e flechas.
    Então disse ao rei de Israel: Põe a tua mão sobre o arco. E pós sobre ele a sua mão; e Eliseu pôs as suas mãos sobre as do rei.
    E disse: Abre a janela para o oriente. E abriu-a. Então disse Eliseu: Atira. E atirou; e disse: A flecha do livramento do SENHOR é a flecha do livramento contra os sírios; porque ferirás os sírios; em Afeque, até os consumir.
    Disse mais: Toma as flechas. E tomou-as. Então disse ao rei de Israel: Fere a terra. E feriu-a três vezes, e cessou.
    Então o homem de Deus se indignou muito contra ele, e disse: Cinco ou seis vezes a deverias ter ferido; então feririas os sírios até os consumir; porém agora só três vezes ferirás os sírios.
    Depois morreu Eliseu, e o sepultaram. Ora, as tropas dos moabitas invadiram a terra à entrada do ano.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s