Arquivo

Archive for the ‘Monergismo’ Category

A IGREJA EFEMINADA

    Escrito por: Stephen C. Perks

 

Recentemente fui questionado se seria correto dizer que, na história do mundo, dinastias e civilizações inteiras de fato naufragaram na rocha da homossexualidade. Minha resposta foi que não deveríamos pôr as coisas desse modo. Claro, eu creio que a prática homossexual é imoral e proibida pela Lei de Deus. Todavia, em Romanos 1.21 – 32, Paulo põe dessa forma: deixaram de servir a Deus para servirem à criatura. Como uma consequência, Deus entregou-lhes às paixões impuras. Homossexualidade é julgamento de Deus sobre uma sociedade que abandonou a Deus e adora a criatura em vez do Criador. A apostasia espiritual é a rocha na qual as culturas, incluindo a nossa, foi fundada, e a homossexualidade é o julgamento de Deus sobre tal apostasia. Esta é a razão porque a homossexualidade era uma prática comum entre as antigas culturas pagãs; na verdade, é uma prática comum entre a maioria das culturas pagãs, incluindo a nossa crescente cultura neo-pagã. Em resumo, a ideia de que a tolerância da homossexualidade é um mal que conduzirá ao julgamento de Deus não é bíblica, pois coloca o carro na frente dos bois. É exatamente o contrário! A prevalência da homossexualidade em uma cultura é um sinal seguro de que Deus já tem executado ou está executando sua ira sobre a sociedade por sua apostasia. A causa deste julgamento não é a prática imoral da homossexualidade (apesar dos atos imorais homossexuais);

Leia mais…

O Juízo Final Vs. o Relativismo

 

Escrito por: Gary North

A doutrina do Juízo Final de Deus testifica contra todas as formas de relativismo. É por isso que o liberalismo secular rejeita esta doutrina cristã. O conservadorismo secular também. A doutrina do Juízo Final de Deus anuncia que certas ideias são eternamente verdadeiras e, portanto, que outras ideias são eternamente falsas. Deus irá impor sanções negativas irreversíveis contra aquelas pessoas que acreditam em determinadas doutrinas teologicamente incorretas, como a negação das seguintes verdades: “Quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, porém, desobedece ao Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus”. (Jo 3.36) “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim”. (Jo 14.6) A doutrina do Juízo Final faz com que os transgressores do pacto fiquem sem escapatória. Não há saídas. Não haverá acordos judiciais no Dia do Juízo.

O Juízo Final de Deus é o fundamento dos julgamentos temporais dos homens. A habilidade dos homens de julgarem corretamente somente existe porque os homens são criados à imagem de Deus. Os homens podem exercer juízo preliminar porque Deus irá exercer o Juízo Final. Se Deus não irá exercer o Juízo Final então todos os julgamentos humanos não tem fundamento moral ou estético. Tudo que os homens fizessem seria sugado pelo relativismo e impessoalidade cósmica.

Leia mais…